Solar inaugura exposição "O Caso Caligari"

26 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

O Caso Cagligari, assim se intitula a exposição que assinalará, em Vila do Conde, o centenário de um dos marcos do cinema expressionista alemão: O Gabinete do Dr. Caligari, de Robert Wiene.

A mostra integrará obras inéditas de Daniel Blaufuks, Eduardo Brito, Reiner Kohlberger e Jonathan Uliel Saldanha criadas para a Solar – Galeria de Arte Cinemática. Cada artista convidado apresentará, assim, uma obra que tem por fonte, inspiração, ressonância ou referência o filme de Wiene, desde a sua pré e pós história, até à produção ou crítica, passando pelas biografias dos seus criadores e a materialidade do seu suporte. Com inauguração no sábado, dia 6 de julho de 2019, pelas 19h00, O Caso Caligari propõe-se a celebrar o filme através da criação artística contemporânea entre a imagem cinemática e o cinema expandido, refletindo, assim, sobre as visões cinemáticas que ainda se podem criar a partir de O Gabinete do Dr. Caligari.

O desafio lançado pela organização aos quatro artistas foi o de criarem uma proposta que conjugasse uma abordagem à obra cinematográfica de Wiener e o espaço muito peculiar da galeria. Daniel Blaufuks, artista plástico que trabalha fotografia, vídeo e cinema, integrou a Competição Nacional do Curtas por duas vezes e a programação da Solar com a exposição Viagens com a minha tia em 2009. Para esta exposição, propõe um ensaio vídeo de longa duração, From Caligari to Jud Süss, onde contrapõe o filme homenageado com Jud Süss, obra nascida da muito eficaz máquina de propaganda Nacional-Socialista. Eduardo Brito, integrou por três vezes a Competição Nacional do Curtas e é representado pela Agência da Curta Metragem com os filmes Penúmbria, de 2016, e Declive, de 2018, tendo também colaborado em vários projetos da Curtas Metragens CRL. Em julho, apresenta, em Vila do Conde, uma instalação vídeo em três canais: Curiosidades do Gabinete (cada história é sempre um remake de outra história)Reiner Kohlberger, artista, performer e realizador alemão, tem vindo a participar com regularidade na Competição Experimental do Curtas e integrará, este ano, a programação Stereo com a performance Brainbows. Em O Caso Caligari mostrará DDDMque trabalha os limites da parafernália tecnológica, do vídeo e do som, e, ao mesmo tempo, os da perceção, da reação física, intelectual e emocional do espectador. Jonathan Uliel Saldanha, músico, compositor e artista, integrou a programação Stereo do Curtas em 2018, com um espetáculo resultante de uma residência artística com a norte-americana Moor Mother, para além da performance na Solar, paralela à exposição Ruins/Rites/Runesintegrada na exposição de Ben Rivers e Ben Russell, em 2015. Na Solar apresenta uma nova fórmula de Anoxia, obra que trabalha com som e imagem vídeo em dupla projeção. 

A exposição contará ainda com uma programa paralelo desenvolvido em parceria com o 27 Curtas Vila do Conde, incluindo uma mesa-redonda que discutirá no expressionismo cinematográfico e a emergência deste movimento no seu tempo, com a participação de Abílio Hernandez Cardoso, professor aposentado de Literatura Inglesa e História e Estética do Cinema; António Roma Torres, crítico de cinema, médico psiquiatra e autor de obras literárias sobre cinema e de peças de teatro; e Nuno Faria, professor, curador, diretor artístico do Museu da Cidade do Porto. A conversa será moderada por Daniel Ribas, investigador, programador e crítico de cinema. Um filme-concerto complementará as atividades paralelas, com a estreia de uma banda sonora original comissariada ao compositor-intérprete, Tiago Cutileiro e à violoncelista Marta Navarro. Será ainda possível ver a exposição numa visita guiada com a presença da maioria dos artistas com obras em exposição, na quarta-feira, dia 10 de julho de 2019, a partir das 16h00.

Programa completo do 27º Curtas

19 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Está fechada a programação para 27ª edição do Curtas. O festival regressará a Vila do Conde com uma selecção de mais de 250 filmes de produção recente que pretendem ser um espaço de descoberta, reencontro e divulgação para novos e consagrados autores.

 Em 2019, o cinema português volta a ocupar a sala e horário nobre do festival. Dezasseis filmes em estreia na competição nacional, cinco filmes que marcaram o panorama do último ano e dezasseis filmes de escola darão um olhar transversal e transgeracional para o cinema que se faz, actualmente, no país. Nas sessões não competitivas haverá ainda espaço para a antestreia dos primeiros episódios da série de Marco Leão e André Santos, Luz Vermelha; a estreia de Mutantes S. 21- 25 anos depois, documentário sobre os históricos Mão Morta, assim como sessões especiais com cinema de Manoel de Oliveira e João César Monteiro. 

Secção maior do festival, a Competição Nacional do Curtas resume a singularidade de uma nova geração de realizadores portugueses, dos nomes que têm sido reconhecidos nos festivais internacionais, Gabriel Abrantes, Diogo Costa Amarante, Diogo Baldaia ou Sofia Bost, até aos novos valores cujos filmes antecipam um futuro que queremos acompanhar, Maureen Fazendeiro, Alex SiqueiraLaura Carreira. E porque o festival se faz também de continuidade, regressam a Vila do Conde este ano: Mariana Gaivão, André Marques, Paulo Furtado e Pedro Neves. A selecção para a Competição Nacional completa-se com os mais recentes trabalhos de Rui Esperança, Vasco Saltão, Miguel Afonso, Francisco Valente e Márcio Laranjeira & Sérgio Brás d'Almeida. Estas sessões vão ser seguidas de uma conversa com os realizadores.

E porque olhar o agora do cinema nacional é também perceber em retrospectiva, passam pelo Curtas uma selecção de filmes que, pela história, prémios ou percurso internacional se destacaram na produção recente do país. Em Julho, vai ser possível ver, em Vila do Conde, as obras mais recentes de Susana de Sousa Dias (Fordlândia Malaise, estreado na Berlinale), Jorge Jácome (Past Perfect, estreado na Berlinale e premiado no IndieLisboa e no Festival de Curtas Metragens de Hamburgo), Catarina Mourão (O mar Enrola na Areia, selecionado para o Visions du Réel, É tudo verdade e Oberhausen), Sílvia das Fadas (A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer, premiado no IndieLisboa) e Helena Estrela (Bela Mandil, selecionado para a Viennale).

O cinema português vai marcar ainda as sessões especiais e diferentes segmentos programáticos do festival. Já anunciados estavam o foco na obra de Carlos Conceição, as sessões especiais dedicadas ao 50º aniversário da morte de José Régio e o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen. A marcar o primeiro fim-de-semana do Curtas, a estreia do documentário que assinala o quarto de século de Mutantes S. 21- 25 anos depois, um dos mais emblemáticos discos dos Mão Morta. A sessão será acompanhada por uma conversa com a banda moderada por Valter Hugo Mãe. Na secção Da Curta à Longa, antestreia dos dois primeiros episódios da primeira série da dupla Marco Leão e André SantosLuz Vermelha, inspirada na história das Mães de Bragança e com interpretações, entre outros, de Margarida Vila-Nova, Afonso Pimentel, Joaquim Monchique e Sara Norte. 

A selecção nacional do Curtas inclui ainda um espaço dedicado ao cinema de escola, Take One!, com uma selecção heterogénea de obras produzidas por alunos portugueses em escolas nacionais e estrangeiras; uma carta branca a João Nicolau inserida nas celebração do seu 20º aniversário da Agência da Curta Metragem; e um espaço dedicado a vídeos de música que demonstram particular relação com a linguagem cinematográfica. Nesta edição, entre outros, concorrem os vídeos musicais de Bruno Ferreira (para Everybody, de Sinkane), de Pedro Maia (para Paplu (Love That Moves The Sun), de Vessel), do trio André Carrilho + Rui Clara Gomes + Mantraste (para Balança, de Throes + The Shine), de Diogo Tudela (para Swisid Mekanize Rejiman, de HHY & The Macumbas) e de Leonor Teles (para Chavitas, dos Sensible Soccers).

O 27º Curtas, que regressa entre 6 e 14 de Julho, integrará ainda uma competição internacional com obras vindas de diferentes hemisférios, uma competição experimental e uma secção infanto-juvenil com cinema e oficinas pensadas para crianças, jovens e famílias. Em foco estarão também as obras de Todd Solondz e Carlos Conceição, assim como o cinema restaurado, naquela que é a nova secção de Cinema Revisitado. Em Vila do Conde será ainda possível ver os filmes-concerto de Thurston Moore, The Heliocentrics e Montanhas Azuis.
A programação completa de sessões, festas e actividades paralelas pode ser consultada no site do evento.

SELECÇÃO COMPETIÇÃO NACIONAL

18, Rui Esperança, Portugal, 2019, DOC, 25'
A Fábrica, Pedro Neves, Portugal, 2019, DOC, 29'
Amor Quântico, Paulo Furtado, Portugal, 2019, FIC, 11'
Ave Rara,Vasco Saltão, Portugal, 2019, FIC, 34'
Cenas de Uma Vida Amorosa, Miguel Afonso, Portugal, 2019, FIC, 13'
Colmeal, Márcio Laranjeira & Sérgio Brás d'Almeida, Portugal, 2019, FIC, 15'
Destiny Deluxe, Diogo Baldaia, Portugal, 2019, FIC, 30'
Dia de Festa, Sofia Bost, Portugal, 2019, FIC, 17'
Les Extraordinaires Mésaventures De La Jeune Fille De Pierre, Gabriel Abrantes, Portugal, 2019, FIC, 20'
Lisboa, 2018, Francisco Valente, Portugal, 2019, FIC, 20'
Não Procures Mais Além, André Marques, Portugal, France, Haiti, 2019, FIC, 25'
O Verde do Jardim, Diogo Costa Amarante, Portugal, 2019, FIC, 27'
Purpleboy, Alex Siqueira, Portugal, França, 2019, ANI, 14'
Red Hill, Laura Carreira, Reino Unido, 2018, FIC, 13'
Ruby, Mariana Gaivão, Portugal, 2019, FIC, 25'
Sol Negro, Maureen Fazendeiro, Portugal, 2019, EXP, 6'

SELECÇÃO PANORAMA PORTUGUÊS

A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer, Sílvia das Fadas, Portugal/EUA/Áustria, 2018, DOC/EXP, 35'
Bela Mandil, Helena Estrela, Portugal, 2018, FIC, 18'
Fordlândia Malaise, Susana de Sousa Dias, Portugal, 2019, DOC, 40'
O Mar Enrola na Areia, Catarina Mourão, Portugal, 2019, DOC/FIC, 16'
Past Perfect, Jorge Jácome, Portugal, 2019, DOC/FIC/EXP, 23'
SELECÇÃO TAKE ONE! 
A Morte De Léaud, Ricardo Pinto de Magalhães, Portugal, 2019, DOC, 6'
Auspício, Vasco Trabulo Bauerle, Portugal, FIC, 10'
Berço, Inês Luís, Portugal, 2019, FIC, 22'
Corporealitis, Beatriz Bagulho, Reino Unido/Portugal, 2018, ANI, 4'
Direito à Memória, Rúben Sevivas, Portugal, 2019, DOC, 9'
Em Caso de Fogo, Tomás Paula Marques, Portugal, 2019, FIC, 23'
Em Junho, Henrique Brazão, Portugal, 2019 , FIC, 16'
Estas Mãos São Minhas, André Miguel Ferreira, Portugal, 2019, DOC, 9'
Há Alguém na Terra, Francisca Magalhães, Joana Tato Borges & Maria Canela, Portugal, 2019, FIC, 17'
Inside Me, Maria Trigo Teixeira, Alemanha, 2019, ANI/DOC, 5' 
Irene, João Martinho, Portugal, 2018, FIC, 15'
José, João Monteiro, Portugal, 2019, FIC, 14'
Notes on Living, Inês Pedrosa e Melo, USA, 2018, DOC, 5'
Os Monstros só Saem à Noite, João Pedro Ferreira, Portugal, FIC, 14'
The Hood, Patricia Vidal Delgado, EUA/Portugal, 2018, FIC, 10'
Verniz Glaze, Clara Jost, Portugal, 2018, FIC, 14'

 

Consulte o nosso jornal:
Download

Curtinhas traz o Espaço a Vila do Conde

17 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

O Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema está de regresso e traz o Curtinhas ao colo. A secção infanto-juvenil e familiar do festival, este ano dedicada ao tema O Espaço, integrará sessões para maiores de 3, 6 e 10 anos, festas e oficinas, assumindo-se como um minifestival onde as crianças poderão aprender a ver e a fazer cinema.

A marcar a programação deste ano, o aguardado quarto filme da série Toy Story, que traz de volta as aventuras de Woody e seus amigos em formato 3D e a sessão especial de acesso livre composta por alguns dos clássicos de animação da Walt Disney. 

Com uma vasta programação de de curtas metragens de animação de produção recente, o Curtinhas 2019 pretende apresentar estéticas e linguagens alternativas ao consumo normal de cinema, alinhadas pelos conteúdos escolares e os interesses das crianças e jovens em cada faixa etária. Em paralelo, o festival terá em funcionamento, no Teatro Municipal de Vila do Conde, um espaço infantil, onde as crianças poderão desenvolvem um conjunto de oficinas relacionadas com as imagens em movimento, assim como outras actividades lúdicas e pedagógicas, acompanhadas por monitores, enquanto os pais assistem às sessões em sala. Agendados este ano estão dois workshops criados em colaboração com o Mundo Científico: Viagem Intergaláctica (Domingo 7 de Julho) e Pequenos Exploradores de Estrelas (Sábado 13 de Julho), assim como uma grande festa de encerramento a ter lugar no último dia do festival. 

Destaque especial no cinema para a sessão única e de acesso livre com alguns dos primeiros clássicos a cores produzidos por Walt Disney. A ter lugar no Sábado, dia 13 de Julho, esta sessão será composta por uma série de obras primas que são hoje em dia consideradas essenciais na história do cinema. Desde a curta Flowers and Trees ao grande sucesso Os Três Porquinhos(primeiro de uma série de filmes de Disney a vencer o Oscar na categoria de melhor animação), passando pela primeira aparição do Pato Donald no cinema com The Wise Little Hen ou o remake do clássico O Patinho Feio de Hans Christian Andersen.

À semelhança do que tem vindo a acontecer nas anteriores edições, o júri da competição do Curtinhas será composto por crianças entre os 8 e os 12 anos, que decidirão, em conjunto, o melhor filme a concurso. Na cerimónia de encerramento, será esse grupo a entregar o Prémio MAR Shopping ao realizador do filme vencedor. As inscrições para o júri do Curtinhas estão ainda abertas e os regulamentos podem ser consultados no site

Em antecipação à 27ª edição do Curtas Vila do Conde, o MAR Shopping recebe a 22 de Junho, o Workshop Faz Pop-Up, das 11h00 às 12h30 e das 14h30 às 17h00, no Piso 0 (corredor de moda infantil). A participação é gratuita e assegurada por ordem de chegada. O workshop destina-se a famílias com crianças entre os 4 e os 10 anos. 

O 27º Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, que decorre entre 6 e 14 de julho, tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual, do programa MEDIA/Europa Criativa e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival, incluindo o MAR Shopping, patrocinador exclusivo da secção Curtinhas. Este minifestival surge na sequência do trabalho desenvolvido regularmente pela Curtas Metragens CRL, desde 2005, através de atividades organizadas pela equipa do serviço educativo da Solar - Galeria de Arte Cinemática e do projeto Animar. 

Cinema Revisitado no Curtas

12 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Não é nova a preocupação do Curtas com o património cinematográfico. Empenhado na missão de valorizar o lugar da curta metragem naquela que é a história do cinema, ao longo das suas 27 edições o festival vila condense tem vindo a contribuir para a criação de uma visão alternativa sobre o espólio de cinema, recuperando para a sua programação obras essenciais da sétima arte. Um compromisso que agora se assume como secção, com o lançamento de um novo espaço programático que promoverá o regresso às salas de filmes raros ou desconhecidos, versões restauradas, cinema sobre cinema e ensaios visuais. No seu primeiro ano, a secção Cinema Revisitado inclui obras não mostradas de António Reis, um ciclo que assinala os 50 anos da morte de José Régio e uma sessão especial com os primeiros grandes filmes de animação de Walt Disney.

Cineasta, poeta e professor, António Reis é um dos nomes inultrapassáveis da história do cinema nacional. Sozinho, ou ao lado de Margarida Cordeiro, contribuiu de forma absolutamente singular para aquilo que entendemos hoje como cinema português. A sua obra, particularmente comprometida com o registo da vida rural e a etnografia de um país a braços com a ditadura, levanta o véu sobre discussões em torno da memória, temporalidade e território, tendo influenciado várias gerações de cineastas que o sucederam. O Curtas mostrará, pela primeira vez, "Do Céu ao Rio", numa sessão que incluirá ainda diversos filmes de Sergei Parajanov. Considerado um dos grandes mestres do cinema do século XX, Parajanov é dono de uma obra com particular veio poético, tendo sido um dos principais responsáveis por desviar o curso da história do cinema do leste europeu, rompendo com a estética realista imposta pelo regime da ex-União Soviética. Em Vila do Conde será possível ver "Hakob Hovnatanyan", "Kiev Frescoes" e "Arabesques on the Pirosmani Theme".

 
Parece ser inegável que o encontro entre José Régio e Manoel de Oliveira foi um momento decisivo para a vida artística de ambos. Se o primeiro terá influenciado de forma determinante aquele que é o universo de referências literárias do segundo, será sobretudo através do cinema de Oliveira que se encontra, hoje, a porta de entrada para a literatura de Régio. No ano em que se assinalam os 50 anos sobre a sua morte, o Curtas recupera em Vila do Conde, terra onde morou toda a sua vida, os filmes que ligam o escritor e o cineasta. 

 
Será uma sessão única e de acesso livre aquela que mostrará alguns dos primeiros clássicos a cores produzidos por Walt Disney. Uma série de obras primas, hoje em dia consideradas essenciais na história do cinema, que são um testemunho da forma como a visão do americano viria a marcar a indústria do entretenimento à escala mundial. Da curta Flowers and Trees, ao grande sucesso "Os Três Porquinhos" (o primeiro de uma série de filmes de Disney a vencer o Óscar na categoria de melhor animação), passando pela primeira aparição do Pato Donald no cinema com "The Wise Little Hen" ou o remake do clássico "O Patinho Feio", de Hans Christian Andersen. Entretenimento também na apresentação da cópia restaurada para 4K de "Rambo: First Blood". Apresentado na selecção de Cannes deste ano, o filme, o primeiro da saga protagonizada por Sylvester Stallone, foi restaurado a partir dos negativos originais, respeitando as escolhas artísticas da produção original. 

 
Entre a recta final de 60 e inícios da década de 70, Joe Dante e Jon Davidson percorriam o circuito universitário com apresentações daquilo a que chamaram The Movie Orgy: sessões de cinema de fluxo livre, onde se remisturavam filmes de série B, trailers, desenhos animados, publicidades e filmes bizarros, institucionais ou educativos.Neste objecto cinematográfico mutante nunca havia duas projecções semelhantes, já que Dante e Davidson modificavam a montagem constantemente. Será esta a proposta de "The Movie Orgy − Ultimate Version", uma sessão de carácter descontraído com uma selecção de duas horas e meia de material audiovisual, acompanhada por uma festa com a presença de vários DJs. 
A nova secção do festival integrará ainda a projecção de Sophia de Mello Breyner Andresen, de João César Monteiro, assinalando o centenário do nascimento da autora e o filme-concerto "The Cabinet of Dr. Caligari", de Robert Wiene, musicado ao vivo pela violoncelista Marta Navarro e o compositor e artista sonoro Tiago Cutileiro.

 
O 27º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 6 e 14 de julho, tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

 
​PROGRAMA CINEMA REVISITADO
 
Arabesques on the Pirosmani Theme, Sergei Parajanov, Arménia, 1985, 25'
Do Céu ao Rio, António Reis, César Guerra Leal, Portugal, DOC, 1964
Hakob Hovnatanyan, Sergei Parajanov, Arménia, DOC, 1967, 10'
Kiev Frescoes, Sergei Parajanov, Arménia, 1966, 15'
Rambo: First Blood, Ted Kotcheff, USA, FIC, 1982, 97'
Sophia de Mello Breyner Andresen, João César Monteiro, Portugal, DOC, 1969, 19'
The Cabinet of Dr. Caligari, Robert Wiene, Alemanha, 1919, FIC, 55' (filme-concerto)
The Movie Orgy − Ultimate Version, Joe Dante, USA, DOC, 1968, 280'

 
Sessão José Régio
 
A Glória de Fazer Cinema em Portugal, Manuel Mozos, Portugal, FIC, 2015, 15'
As Pinturas do meu Irmão Júlio, Manoel de Oliveira, Portugal, DOC, 1965, 15'
Douro Faina Fluvial, Manoel de Oliveira, Portugal, DOC, 1931, 20'
O Poeta Doido, o Vitral e a Santa Morta, Manoel de Oliveira, Portugal, DOC, 2008, 7'
Romance de Vila do Conde, Manoel de Oliveira, Portugal, DOC, 2008, 6'

 
Sessão Disney Technicolor
 
Flowers and Trees, Burt Gillett, USA, ANI, 1932, 8'
The Goddess of Spring, Wilfred Jackson, USA, ANI, 1934, 10'
The Golden Touch, Walt Disney, USA, ANI, 1935, 10'
The Old Mill, Wilfred Jackson, USA, ANI, 1937, 9'
The Tortoise and the Hare, Wilfred Jackson, USA, ANI, 1935, 9'
The Ugly Duckling, Jack Cutting, Clyde Geronimi, USA, ANI, 1939, 9'
The Wise Little Hen, Wilfred Jackson, USA, ANI, 1934, 8'
Three Little Pigs, Burt Gillett, USA, ANI, 1933, 9'

CURT’AS MONTRAS: Concurso de Montras

6 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Em 2019, o Curtas Vila do Conde realiza a sua 27ª edição que decorre de 6 a 14 de julho. Nesta edição, o festival continuará a aposta numa programação eclética, exibindo as grandes tendências atuais: desde o cinema experimental, passando pelos diversos cinemas nacionais e mesmo procurando, através de programas especiais, recuperar velhos clássicos do cinema.

Ao longo de mais de duas décadas, o festival tem construído um caminho sólido que conta com o apoio de diversos intervenientes: jornalistas, programadores, realizadores, espectadores, e claro, os vila-condenses.
 
À semelhança dos últimos anos, convidamos todos os comerciantes da região a juntarem‐se a esta grande celebração do cinema através do concurso de montras, CURT’AS MONTRAS, que procura envolver toda a cidade no espírito do Curtas, incentivando a decoração das montras dos estabelecimentos comerciais com elementos ligados ao Festival.
 
Prémio: Duas noites de alojamento em quarto duplo, com pequeno-almoço incluído, entre os dias 1 de outubro e 30 de novembro. 
 
Todos os participantes receberão um convite para as cerimónias de abertura e de encerramento do festival, bem como bilhetes para sessões de cinema à escolha.
 
 
Destinatários: São admitidas a Concurso todas as pessoas singulares ou coletivas que explorem, na cidade de Vila do Conde, qualquer estabelecimento comercial ou industrial com montras visíveis ao público. 
 
Inscrição:
A inscrição é gratuita e poderá ser realizada até ao dia 2 de julho, através do e-mail press@curtas.pt ou do telefone 252 638027, com indicação dos seguintes dados: 
 
– Nome do estabelecimento 
– Nome do proprietário / gerente 
– Telefone 
– E‐mail 
 
Requisitos: As montras deverão estar expostas entre os dias 6 e 14 de julho de 2019 com a placa identificativa do concurso que será entregue nos estabelecimentos participantes.
 
A recolha e seleção dos elementos a expor é da responsabilidade dos participantes, sendo que a organização disponibilizará materiais de  comunicação do Festival como, por exemplo, cartazes A3 e desdobráveis.
 
A decoração das montras ficará a cargo de cada estabelecimento e a única regra é a criatividade! As lojas com artigos para crianças poderão concorrer com elementos dedicados à secção infantil do Festival: o Curtinhas.
 
Anúncio dos vencedores: O júri do concurso será constituído por convidados e membros da equipa do festival e anunciado até ao dia 2 de julho. O júri visitará as montras concorrentes entre os dias 6 e 14 de julho. O vencedor, eleito pela maioria dos jurados, será anunciado na cerimónia de encerramento do festival que terá lugar no dia 14 de julho, pelas 17h30, no Teatro Municipal de Vila do Conde.

Festa de Apresentação do Curtas Vila do Conde

5 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Em noite de apresentação do 27º Curtas de Vila do Conde, no dia 22 de junho, DJ Amir regressa ao Pérola Negra, onde será novamente acompanhado pelo Pedro Tenreiro.  E claro,  para a festa ser uma pérola, não pode faltar o Curtas Vila do Conde Soundsystem para dar o arranque ao início da celebração.

Reencontro de dois diggers ávidos e divulgadores compulsivos da história da música negra, em tempos separados por um oceano.
Dj Amir, que recentemente trocou Brooklyn por Berlim, é metade da dupla Kon + Amir, responsável por desvendar tantos tesouros nas obrigatórias recolhas Off Track, foi colaborador da saudosa Waxpoetics, fundador da 180 Proof Records, através da qual recupera enormes raridades e arquivista maior da BBE.
Pedro Tenreiro foi um pioneiro dos edits entre nós quando, há mais de 20 anos, se dedicou à exploração do mais refundido Disco com Dancin' Days e, desde aí, alimenta pistas de dança com Rhythm & Blues, Boogaloo, Soul, Funk e Boogie obscuro e escolhido a dedo, para além de ser presença diária na Antena 3, com o seu Poder Soul.
Juntos preparam-se para nos dar uma noite daquelas que se levam para casa e que ficam coladas ao corpo e à memória, à custa dos ritmos contagiantes e das melodias inesquecíveis de todas as coisas Disco, sejam raras e obscuras, sejam clássicas e nostálgicas.
Um pré São João à moda do Curtas Vila do Conde com os melhores diggers da actualidade, e uma boa dose de música pela dupla Miguel Dias e Sérgio Gomes que são os Vila do Conde Soundsytem. Tudo isto, no Pérola Negra a partir das 00h. 

Evento aqui 

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62  I  63  I  64  I  65  I  66  I  67  I  68  I  69  I  70  I  71  I  72  I  73  I  74  I  75  I  76  I  77 next→
ETIQUETAS