27º Curtas: Competição Internacional e Experimental

4 Junho 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Os acontecimentos recentes têm-nos mostrado a importância de voltarmos a olhar a história. Reescrever acontecimentos, redescobrir os arquivos da memória, reclamar heranças e redesenhar velhas simbologias são estes os desafios propostos pelas 56 curtas que integram as competições internacional e experimental do 27º Curtas. Vozes singulares, a trabalharem nas fronteiras entre géneros, fora e dentro das suas próprias heranças culturais, que nos mostram os caminhos de conexão entre as experiências pessoais e o comum, o ontem e o hoje, o agora e o amanhã.

Nascido em Dallas em 1950, Billy Woodberry é dos fundadores do movimento L.A. Rebellion, um colectivo de cineastas Afro-Americanos por um cinema negro nos Estados Unidos. Durante o trabalho de pesquisa para a sua mais recente longa, dedicada ao poeta-activista Angolano Mário Pinto de Andrade, cruzou-se com o arquivo fotográfico que retrata os efeitos da campanha de pacificação levada a cabo pelo exército Português sobre o povo Cuamato, após as conferências de Berlim de 1885. Daí nasce este "A Story from Africa", um retrato da bravura e da resistência de um povo até à sua queda. Ainda nos território da herança negra, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, dupla que esteve este ano em foco na Bienal de Veneza, voltam a questionar a forma como tradições culturais, outrora símbolo de resistência, têm sido apropriadas pela indústria do entretenimento e turismo. Em "R.I.S.E", obra premiada em Berlim, ocupam uma das mais recentes linhas de metro de Toronto com o trabalho de jovens rappers e poetas marginalizados, num filme que é discurso comum entre a periferia e o centro, o tradicional e o contemporâneo, a identidade individual e o grupo. E se de cruzamentos falamos aqui, paremos em "Vever (for Barbara)", de Deborah Stratman. Um ensaio poético que conecta três gerações de realizadoras que, em separado e em conjunto, assumiram diversos desafios e, com isso, se expuseram à reinterpretação dos seus próprios processos cinematográficos. 
Radu Jude é um dos mais reputados cineastas romenos da actualidade. Presença obrigatória nos festivais nacionais há já uns anos, tem vindo, entre longas e curtas, a dar novas dimensões a eventos históricos do último século da Europa. Em "The Marshal’s Two Executions" abre a tela a duas visões distintas sobre a execução do general Ion Antonescu, o líder romeno durante a segunda guerra mundial. É o mesmo olhar cirúrgico que encontramos em Gürcan Keltek. Trabalhando no ponto de encontro entre o documentário e a ficção, conta histórias sobre os conflitos, lutas e marginalizações que se escondem na história turca. Em "Gulyabani", curta com que se apresenta em Vila do Conde, leva-nos pelos diários e memórias de Fethiye Sessiz, uma vidente residente em İzmir, vítima de abuso, rapto e tortura. No lado oposto das forças, Benjamin Crotty, realizador e artista visual que colabora frequentemente com Gabriel Abrantes, filma Le Discours D’acceptation Glorieux De Nicolas Chauvin. Um filme que nos coloca frente-a-frente com um veterano de guerra que, durante a cerimónia de entrega de um prémio de carreira, redescobre a sua própria história de vida. 
Regresso de Ludovic Houplain, que já havia passado pelo Curtas com Logorama, filme galardoado com um Óscar. Como condutor do seu novo filme, "My Generation", terá, muito certamente, olhado pelo seu próprio espelho retrovisor. O filme mostra a sua visão apocalíptica do mundo contemporâneo, onde um veículo em marcha atrás nos leva por todas as pragas dos tempos modernos: da arte à big data, do desporto à religião, do sexo à política e à finança. Jogo inverso em "It has to be lived once and dreamed twice" de Rainer Kohlberger. Após a sexta grande extinção em massa, a humanidade desapareceu da Terra, mas há uma nova vida a despertar e tenta entender o que a rodeia e, eis que então descobre a história cinematográfica da humanidade. Do futuro novamente para o agora, com "Suspended Island", de Jane Wilson e Louise Wilson, uma instalação visual que questiona o lugar da Inglaterra pós-Brexit, e Shatki, de Martín Rejtman, a trazer um novo ponto de entrada para o microcosmo da sociedade argentina, através das desventuras amorosas de Federico. 
A 27 edição do Curtas de Vila do Conde integrará ainda estreias nacionais para trabalhos recentes de Ken Jacobs ("The Whole Shebang"), James Franco e Pedro Gómez Millán ("Birth of a Poet"), Chema García Ibarra e Ion de Sosa ("Leyenda dorada"), Kevin Jerome Everson ("Polly One"), Stéphane Aubier e Vincent Patar ("Panique au Village - La foire Agricole"), Franck Dion ("Per Aspera Ad Astra"), Ben Rivers ("Trees Down Here"), Bill Morrison ("Cinematograph") e Brandon Cronenberg ("Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You").
O 27º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 6 e 14 de Julho, tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.
 
SELECÇÃO COMPETIÇÃO INTERNACIONAL
 
A Letter To Home, Mukul Haloi, Índia, FIC, 2018, 25'    
A Story from Africa, Billy Woodberry, Portugal/ EUA, DOC, 2018, 32'
America, Garrett Bradley, EUA, DOC, 2019, 27'    
Bicicletas, Cecilia Kang, Argentina, FIC, 2018, 27'
Birth of a Poet, James Franco, Pedro Gómez Millán, Zachary Kerschberg, EUA, FIC, 2019, 14'
Blessed Land, Phạm Ngọc Lân, Vietname, FIC., 2019, 18'
Cadoul de Craciun, Bogdan Muresanu, Roménia, FIC, 2018, , 20'
Demonic, Pia Borg, Austrália, DOC, 2019, 28'
Deux Sœurs Qui Ne Sont Pas Sœurs, Beatrice Gibson, Reino Unido/Alemanha/Canadá/França, DOC/EXP, 2019, 22'
Dreamland, Raphaël Matthieu, França, FIC, 2019, 14'
Everything You Wanted To Know About Sudden Birth* (*But Were Afraid To Ask), Scott Calonico, Reino Unido/Alemanha/EUA, FIC, 2018, 11'
Gulyabani, Gürcan Keltek, Holanda/Turquia, FIC/EXP, 2018, 35'
In Between, Samir Karahoda, Kosovo, DOC, 2019, 14'
L'Autre sur ma tête, Julie Colly, França, FIC, 2018, 9'
L’été Et Tout Le Reste, Sven Bresser, Holanda, FIC, 2018, 18'
Le Cortège, Pascal Blanchet, Rodolphe Saint-Gelais, Canadá, ANI, 2019, 8'
Le Discours D’acceptation Glorieux De Nicolas Chauvin, Benjamin Crotty, França, FIC, 2018, 26'
Levittown, Nelson Bourrec Carter, França/EUA, FIC, 2018, 13'
Leyenda dorada, Chema García Ibarra, Ion de Sosa, Espanha, FIC, 2019, 11'
Los Que Desean, Elena López Riera, Suíça/Espanha, DOC/FIC, 2018, 24'
Movements, Dahee Jeong, Dahee Jeong, Coreia do Sul, ANI, 2019, 10'
My Generation, Ludovic Houplain, França, 2018, ANI, 8'
Olla, Ariane Labed, França, Reino Unido, FIC, 2019, 27'   
Panique au Village - La foire Agricole, Stéphane Aubier, Vincent Patar, Bélgica/França, ANI, 2019, 26'
Per Aspera Ad Astra, Franck Dion, França, ANI, 2019, 11'
Piece Of Meat, Huang Junxiang, Jerrold Chong , Singapura, ANI, 2019, 12'
Plaisir Fantôme, Morgan Simon, França, FIC, 2019, 15'57''
Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You, Brandon Cronenberg, Canadá, FIC, 2019, 9'
Psychic, Tova Mozard, Suécia, DOC, 2019, 17'
R.I.S.E., Bárbara Wagner, Benjamin de Burca, Canadá/Brasil, DOC, 2018, 25'
Shakti, Martín Rejtman, Argentina, Chile, FIC, 2019, 19'
Soy Una Tumba, Khris Cembe, Espanha, França, ANI, 2018, 12'
The Culture, Ernst De Geer, Noruega, Suécia, FIC, 2018, 25'
The Marshal’s Two Executions, Radu Jude, Roménia, FIC, 2018, 10'
The Six, Xu An, Xi Chen, China, ANI, 2019, 5'

SELECÇÃO COMPETIÇÃO EXPERIMENTAL
 
A Return, James Edmonds, Alemanha, EXP, 2018, 6'
Ada Kaleh, Helena Wittmann, Alemanha, DOC, 2018, 14'
Altiplano, Malena Szlam, Chile/Argentina/Canadá, EXP, 2018, 16'
Ambulatório Através da Poesia de Augusto Dos Anjos e António Nobre, Pedro Bastos, Portugal, EXP, 2019, 30'
Cavalcade, Johann Lurf, Áustria, EXP, 2019, 4'
Cinematograph, Bill Morrison, EUA, EXP, 2018, 3'
Darwin Darwah, Arash Nassiri, França, DOC/EXP, 2019, 16'
El Laberinto, Laura Huertas Millán, França, Colômbia, EXP, 2018, 21'
It has to be lived once and dreamed twice, Rainer Kohlberger, Alemanha/Áustria, EXP, 2019, 28'
Pattern Cognition, Thorsten Fleisch, Alemanha, ANI, 2019, 7'
Polly One, Kevin Jerome Everson, EUA, EXP, 2018, 6'
Suspended Island, Jane Wilson, Louise Wilson, Reino Unido, EXP, 2018, 16'
The Air Of The Earth In Your Lungs, Ross Meckfessel, EUA/Japão, EXP, 2018, 11'
The Evil Eye, Clément Cogitore, França, DOC/EXP, 2018, 15'
The Loom, Toby Tatum, Reino Unido, EXP, 2018, 8
The Whole Shebang, Ken Jacobs, EUA, EXP., 2019, 5'
Transformation Scenario, Clemens von Wedemeyer, Alemanha, EXP, 2018, 20'
Trees Down Here, Ben Rivers, Reino Unido/EUA/Hong Kong, EXP, 2018, 14'
Umbra, Florian Fischer & Johannes Krell, Alemanha, EXP, 201, 20'
Vever (for Barbara), Deborah Stratman, EUA, DOC/EXP, 2019, 12'

Carlos Conceição segundo realizador em foco do Curtas

28 Maio 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Comecemos por Sepentário, a primeira longa metragem de Carlos Conceição estreada, este ano, em Berlim e que se apresenta pela primeira vez nas salas portuguesas no festival vilacondense. O filme, interpretado por João Arrais (Soldado Milhões,Coelho Mau), acompanha a viagem de um cineasta na busca pela alma da mãe numa África pós-apocalíptica. Uma reflexão emocional sobre a memória, que joga com a biografia do realizador – nasceu e viveu em África até aos 21 anos, e a história da própria terra. Um filme-catástrofe, onde se exploram sentimentos de pertença e se olha uma Angola saída da guerra, à descoberta de si mesma e das referências apagadas pela história recente.

Apontado como um dos mais interessantes jovens realizadores europeus, Carlos Conceição explora nos seus filmes um estilo elegante, romântico, barroco e subversivo. Foi assim com Versailles apresentado na competição de Locarno em 2013, que, em Vila do Conde, será mostrada uma versão inédita remontada. Voltou a sê-lo em Coelho Mau, uma coprodução luso-francesa que aborda as relações entre dois irmãos (João Arrais e Júlia Palha), uma mãe ausente (Carla Maciel) e o seu amante (Matthieu Charneau), estreada mundialmente na semana da crítica de Cannes. A retrospectiva no festival integrará ainda O Inferno, um olhar para o interior de uma casa contemporânea que testa, de forma desempoeirada, os limites da percepção e a capacidade de choque do espectador. 

A programação para este foco encerra-se com uma carta branca, onde o realizador escolhe filmes que dialogam com o seu percurso e a sua obra: da referência incontornável a Pasolini e Carl Dreyer, de quem se mostrará La Sequenza Dei Fiore di Carta e Thorvaldsen, respectivamente, até Le Musée de Walerian Borowczyk, cujo trabalho, recentemente restaurado, está a ser redescoberto pela comunidade cinéfila mundial, passando pela curta que inaugurou a colaboração entre Scott Walker e os percursores do drone metal Sunn o))). 

O realizador marcará presença no festival para apresentar os filmes e participar numa conversa com João Rui Guerra da Mata e João Pedro Rodrigues. 

O 27º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 6 e 14 de julho, tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

PROGRAMAÇÃO

Coelho Mau, Carlos Conceição, Portugal, França, 2017, fic., 30'
O Inferno, Carlos Conceição, Portugal, 2011, fic., 20'50''
Serpentário, Carlos Conceição, Portugal, Angola, 2019, doc./fic.,75'
Versailles (versão inédita remontada), Carlos Conceição, Portugal, fic., 2019, 18'

PROGRAMAÇÃO CARTA BRANCA
 
Werner Herzog Eats His Shoe, Les Blank, 1980, 22’
Moving Stories, Nicolas Provost, Belgium, 2011, 7’
Le Musée, Walerian Borowczyk, France, 1964, 2’
Interlúdio 1: Real Men Meow (Memory Hole), 2’
Cat Listening To Music, Chris Marker, France, 1990, 3’
Trailer de "Mill Of The Stone Women", 2’
Brando - Scott Walker + Sunn o))), Gisele Vienne, France, 2014, 10’
Andy Warhol Eating a Hamburger (excerto de "66 Scenes From America"), Jørgen Leth, Denmark, 1982, 5’
Thorvaldsen, Carl Dreyer, Denmark, 1949, 10’
Interlúdio 2: "Our World Is Ending" (Memory Hole), 2’
La Sequencia Dei Fiore di Carta (episódio de “Amore e rabbia”), Pier Paolo Pasolini, Italy, 1969, 11’

Thurston Moore no Curtas Vila do Conde

23 Maio 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Está fechada a programação para o STEREO, a secção que junta os filmes à música no Curtas. A 27ª edição do festival traz até Vila do Conde, Thurston Moore, The Heliocentrics, Montanhas Azuis e a colaboração entre Tiago Cutileiro e Marta Navarro

foto: Vera Marmelo

Thurston Moore
mudou-se para Nova Iorque à entrada na maioridade para tocar punk. Quatro anos depois fundava os Sonic Youth, banda com a qual mudou a forma como toda uma geração pensava e executava a experimentação no rock. A solo é, ainda hoje, um dos nomes que mais caminho desbrava na criação de novas linguagens em colisão com os padrões mainstream. Da improvisação ao rock mais puro, da composição acústica ao noise parecem não haver espaços onde Moore não se sinta confortável. O mesmo se poderá dizer das inúmeras colaborações que fez com nomes como Yoko Ono, David Toop, Cecil Taylor, Faust ou Irmin Schmidt (CAN) e que, ainda assim, lhe deixaram tempo para fazer poesia ou dar aulas de escrita. Na música, continua a subir a palco com a The Thurston Moore Group, mas é a solo que se apresenta, em Julho, em Vila do Conde. Neste regresso, vai musicar uma selecção de curtas de Maya Deren, uma das mais icónicas cineastas da vanguarda americana e uma das primeiras mulheres a construir uma carreira na realização. Witch CradleAt LandRitual in Transfigured Time e Meshes of the Afternoon são os filmes que integrarão este filme-concerto. 

Colectivo de jazz psicadélico londrino, os The Heliocentrics surgiram nos anos 90, quando o baterista Malcolm Catto gravou para as míticas Mo'Wax e Jazzman. O seu álbum de estreia, lançado em 2007 pela Stones Throw, solidificou-lhes o lugar por entre os mais interessantes nomes da música das últimas décadas. Equilibrando o exótico e o “estranho”, o universo dos The Heliocentrics é vasto e evolutivo. A sua discografia é documento de uma viagem por entre as diferentes encarnações do jazz e do funk e a sua incrível lista de colaborações uma espécie de introdução aos nomes que marcaram o movimento pós-Mo'Wax, de MF Doom a Mulatu Astatke, de Lloyd Miller a Orlando Julius. Em Julho, o colectivo estará de regresso a Portugal para musicar, ao vivo, Heaven and Magic, um dos mais significativos registos de Harry Smith. Cineasta de vanguarda, Smith coleccionou, ao longo de décadas, milhares de gravuras de revistas vitorianas para, com elas, criar algumas das mais criativas animações que o cinema americano conhece. Tapeçarias a lembrarem as colagens de Max Ernst, onde espaços em transformação, compostos por antiguidades, artefactos e criaturas servem de pano de fundo para as histórias de heróis e heroínas delirantes. 

São três dos mais importantes nomes da música portuguesa contemporânea. A solo ou nos diversos projectos com que habitam a produção cultural do país, os universos sonoros de Marco Franco, Norberto Lobo e Bruno Pernadas estão longe de serem simples e previsíveis. Donos de uma linguagem em constante estado de ebulição, conquistaram com os seus discos alguns dos mais disputados tops da crítica musical e, com isso, o respeito alargado de público e pares. Decidiram não ficar parados e, em Janeiro deste ano, editaram Ilha de Plástico sob o nome Montanhas Azuis, espaço por onde os vemos a experimentarem em torno de instrumentos analógicos, das guitarras aos sintetizadores. Ao vivo (nas raras apresentações que fazem) trilham o perene, ora acompanhados ora guiados pelas imagens de Pedro Maia, qual aventura excursionista entre a música e a imagem. Este evento conta com o apoio da SPA – Sociedade Portuguesa de Autores.

O ciclo de anúncios para o STEREO encerra com a sessão de abertura do 27º Curtas. Das Cabinett Des Dr. Caligari, de Robert Wiene, uma das referências maiores do movimento expressionista alemão no cinema, será musicado ao vivo pela violoncelista Marta Navarro e o compositor e artista sonoro Tiago Cutileiro. Uma encomenda original do Curtas à dupla, que pretende construir um ambiente sonoro para a história muda de um hipnotista que comete homicídios durante crises de sonambulismo. Este filme, cuja rodagem se iniciou no Outono de 1919, há quase 100 anos, dá o mote à exposição O Caso Caligari, que inaugura no dia de abertura do festival, na Solar – Galeria de Arte Cinemática. 

Os bilhetes para estes espetáculos custam entre 7 e 16 euros e encontram-se à venda no Teatro Municipal de Vila do Conde e na rede da bilheteira online (BOL). 

O 27º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 6 e 14 de julho, tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

PROGRAMAÇÃO STEREO
 
Tiago Cutileiro + Marta Navarro - Das Cabinett Des Dr. Caligari 
Data: Sábado, 6 de Julho, 17h30
Local: Teatro Municipal de Vila do Conde
Preço: €7 (pré-venda até 5 de Julho) / €8 (a partir de 6 de Julho) 
Venda: aqui

Thurston Moore com filmes de Maya Deren
Data: Quarta, 10 de Julho, 21h00
Local: Teatro Municipal de Vila do Conde
Preço: €14 (pré-venda até 5 de Julho) / €16 (a partir de 6 de Julho) 
Venda: aqui
 
The Heliocentrics – Heaven and Earth Magic
Data: Sexta, 12 de Julho, 23h45
Local: Teatro Municipal de Vila do Conde
Preço: €8 (pré-venda até 5 de Julho) / €10 (a partir de 6 de Julho)
Venda: aqui

Montanhas Azuis + Pedro Maia
Com o apoio SPA - Sociedade Portugesa de Autores
Data: Sábado, 13 de Julho, 23h45
Local: Teatro Municipal de Vila do Conde
Preço: €7 (pré-venda até 5 de Julho) / €8 (a partir de 6 de Julho)
Venda: aqui


My Generation é a nova secção do Curtas Vila do Conde

17 Maio 2019
Share on Facebook Share on Twitter

A 27.ª edição do Curtas Vila do Conde que irá decorrer de 6 a 14 de julho, terá uma nova secção competitiva, a My Generation. Direcionada para a faixa etária entre os 14 aos 18 anos do Ensino Secundário, envolve quatro escolas de Vila do Conde e da Póvoa do Varzim. Os filmes que fazem parte desta competição foram escolhidos pelos alunos dessas escolas, e serão exibidos nos próprios estabelecimentos de ensino e durante o festival, contando com a presença dos realizadores. Os alunos estarão envolvidos em todas as fases do processo, para além da selecção dos filmes, como a promoção desta acção dentro do espaço escolar, a elaboração de textos e sinopses ou a apresentação das sessões e dos realizadores convidados.

O programa, cujo vencedor será apurado contabilizando as votações do público jovem nas escolas e no festival, apresenta uma seleção de curtas-metragens, com ficção, animação e documentário, oriundas de vários países. Esta seleção é uma oportunidade para o estímulo da literacia audiovisual da comunidade escolar, em torno das imagens em movimento. 
O 27º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 6 e 14 de julho, tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.
Escolas Participantes:
Escola Secundária José Régio, Vila do Conde
Escola Secundária Afonso Sanches, Vila do Conde
Escola Secundária Eça de Queirós, Póvoa de Varzim
Escola Secundária Rocha Peixoto, Póvoa de Varzim
 
PROGRAMAÇÃO MY GENERATION
"Albatross Soup" de Winnie Cheung; EUA; 7'; 2018; ANI
"Empty Skies" de Wenting Deng Fisher; EUA; 18'; 2018; FIC
"Fatiya" de Marion Desseigne-Ravel; França; 20'; 2018; FIC
"Gun Shop" de Patrick Smith; EUA; 2'; 2019; ANI
"Le Mans 1955" de Quentin Baillieux; França; 15'; 2018; ANI
"Malanka" de Paul-Louis Léger, Pascal Messaoudi; França; 14'; 2018; DOC
"Mort Aux Codes" de Léopold Legrand; França; 14'; 2018; FIC
"Nefta Football Club" de Yves Piat; França; 17'; 2018; FIC
"O Mar Enrola na Areia" de Catarina Mourão; Portugal; 15'; 2019; DOC
"Selfies" de Claudius Gentinetta; Suiça; 4'; 2018; ANI
"To Plant a Flag" de Bobbie Peers; Noruega, Islândia; 15'; 2018; FIC
"Untravel" de Ana Nedeljkovic; Sérvia; 9'; 2018; ANI

Festa de Encerramento ANIMAR 14

13 Maio 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Regina Pessoa em Vila do Conde para apresentação do seu mais recente filme e da sua obra em animação na festa de encerramento da ANIMAR 14. 

A ANIMAR 14 chega ao fim com um programa para toda a família em que os mais novos são o centro das atenções. A Festa de Encerramento acontece a 25 de maio no Teatro Municipal de Vila do Conde.

Nos últimos três meses, a equipa da Solar – Galeria de Arte Cinemática promoveu, de forma intensiva, várias atividades dedicadas à formação dos mais novos para o cinema: sessões de cinema, ateliês de cinema, oficinas de pixilação, brinquedos óticos e “stop-motion” e visitas guiadas à exposição patente, entre outras. Do ensino básico ao secundário, mais de dois mil alunos da região Norte puderam participar neste projeto, quer em contexto escolar, quer fora dele.

Nesta edição, o programa inclui a apresentação de curtas-metragens realizadas durante o ANIMAR 14, a entrega dos prémios do concurso de ilustração e a apresentação da retrospetiva integral em animação de Regina Pessoa, com a presença da realizadora, cujo ponto alto será a estreia do seu mais recente filme "Tio Tomás, A Contabilidade Dos Dias". 

Até sábado, dia 24 de maio, ainda será possível visitar a exposição ANIMAR 14, patente na Solar – Galeria de Arte Cinemática e no dia seguinte, será a festa de encerramento no Teatro Municipal de Vila do Conde a partir das 16 horas.

 

PROGRAMA:

16h00: Curtas-Metragens produzidas em ateliês e reportagem sobre todas as atividades;

16h30: Entrega de prémios do Concurso de Ilustração ANIMAR 14;

17h00: Estreia do novo filme de Regina Pessoa,"Tio Tomás, A Contabilidade Dos Dias", com a presença da realizadora

+

retrospetiva integral da sua obra em cinema de animação

Curtinhas à procura de júri

8 Maio 2019
Share on Facebook Share on Twitter

Tens entre 8 e 12 anos? Gostas de cinema? Então temos um desafio para ti! 

Junta-te ao Júri Curtinhas do Curtas Vila do Conde e ajuda a escolher o melhor filme da competição infantil da 27ª edição do festival, que decorrerá entre 6 e 14 de julho. Na cerimónia de encerramento, poderás anunciar o filme vencedor e entregar o prémio Curtinhas MAR Shopping Matosinhos ao realizador premiado.

Os elementos deste júri tão especial, composto por 15 crianças, receberão um free-pass para as sessões infantis do 27º Curtas Vila do Conde e uma t-shirt Curtinhas.


Inscreve-te através do e-mail animar@curtas.pt.

Sobre o Curtinhas...

O Curtinhas é um mini-festival dentro do Curtas Vila do Conde que junta pais e filhos na partilha de uma semana de cinema. Esta secção do festival, que arranca com um filme de animação para toda a família, é composta por uma competição de curtas-metragens, pelo Espaço Infantil Brincar ao Cinema e por oficinas e atividades lúdicas ligadas às imagens em movimento.


Com dezenas de filmes a concurso, a Competição Curtinhas apresenta uma seleção de obras de todo o mundo feitas a pensar no público juvenil. O filme vencedor será escolhido por um júri, composto por crianças dos 8 aos 12 anos, que entregará o Prémio Curtinhas MAR Shopping Matosinhos na Cerimónia de Encerramento do festival, a 14 de julho. 


Durante os nove dias do festival, o Espaço Infantil Brincar ao Cinema vai receber várias atividades para crianças dos 4 aos 12 anos, permitindo aos pais assistirem às sessões de cinema enquanto os filhos usufruem de um lugar de diversão e aprendizagem, sob a orientação de uma equipa de formadores. Este espaço terá um horário coincidente com o das sessões e uma programação permanente constituída por ateliers de curta duração, visionamento de filmes e a realização de outras atividades relacionadas com cinema. 

←prev 1  I  2  I  3  I  4  I  5  I  6  I  7  I  8  I  9  I  10  I  11  I  12  I  13  I  14  I  15  I  16  I  17  I  18  I  19  I  20  I  21  I  22  I  23  I  24  I  25  I  26  I  27  I  28  I  29  I  30  I  31  I  32  I  33  I  34  I  35  I  36  I  37  I  38  I  39  I  40  I  41  I  42  I  43  I  44  I  45  I  46  I  47  I  48  I  49  I  50  I  51  I  52  I  53  I  54  I  55  I  56  I  57  I  58  I  59  I  60  I  61  I  62  I  63  I  64  I  65  I  66  I  67  I  68  I  69  I  70  I  71  I  72  I  73  I  74  I  75  I  76 next→
ETIQUETAS